...
NÃO IMPORTA QUEM SOMOS PEDESTRES, PASSAGEIROS, CICLISTAS, MOTOCICLISTAS OU MOTORISTAS ▬ TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ATENTOS E EXERCER A SEGURANÇA QUANDO ESTAMOS NO TRÂNSITO.

Seguidores

Torre Eiffel, sua história e seus segredos

A Torre Eiffel foi odiada, amada, vendida, copiada, doada, e hoje tão venerada, é visível a partir de qualquer lugar de Paris, sua história a faz majestosa, não há quem pense na França e não a veja como referência, é o principal símbolo do país, deixa a todos fascinados, tornando-se na atualidade um dos monumentos mais visitados do mundo moderno.

Inaugurada em 31 de março de 1889, foi planejada e construída como uma estrutura temporária para dar um toque especial como portal de entrada na Exposição Mundial de 1889, realizada entre 6 de maio a 31 de outubro desse ano, para marcar a data do centenário da Revolução Francesa em Paris (Queda da Bastilha).
(clique em qualquer foto para ver no tamanho original/ou como slide)
Foi considerada uma estrutura revolucionária para sua época, porém, assim como todos os pavilhões da Exposição Mundial foram demolidos, também deveria ser demolida, porém serviu para pesquisas meteorológicas, e tamanha foi a discussão “desmancha não desmancha” de prós e contras em torno dela, que graças ao bom senso do povo parisiense não foi demolida.


Hoje, a Torre Eiffel como um passado presente, pertence a grandeza dos valores e sentimentos que fortalecem ainda mais a história do povo francês.

Com três plataformas, a Torre Eiffel é servida por um sistema de elevadores em seus pilares.

O ideal é visita-la no seu ponto mais alto, e, no período da tarde quando existem poucas nuvens, a vista panorâmica da cidade de Paris é de tirar o fôlego.

A primeira plataforma, está situada a 57m de altura, possui 4415m2, reformada recentemente, é praticamente nova, e oferece uma bela e atrativa vista da cidade, seu acesso, além do elevador, poderá ser feito pelas escadas, está de piso novo e de vidro, que permite ver a complicada estrutura da torre.

Nesse andar, há um filme de orientação institucional sobre a torre, possui vários restaurantes, e bares, mas para ascender direto ao topo, deve-se esperar pelo elevador.

Na lateral externa dessa plataforma, foram gravados 72 nomes de figuras ilustres da história francesa, entre filósofos, matemáticos, engenheiros e cientistas.

Com um panorama deslumbrante a segunda plataforma, está a 115m de altura, possui 1430m2, tem butiques, cafés, lanchonetes, e, em 1983, foi entregue ao público um restaurante temático dedicado ao escritor romancista Júlio Verne, novamente reformado e entregue ao público em 22 de fevereiro de 2007.

O acesso é servido por elevadores na coluna sul, e exclusivos, não param na primeira plataforma e nem vão ao topo, e, descer pela escadaria até a primeira plataforma é uma verdadeira maratona.
(clique em qualquer foto para ver no tamanho original/slide)
A terceira plataforma está situada a 276m de altura, e com a instalação da antena e o mastro da bandeira no seu topo, elevou-se para 324m de altura, possui 250m2 com 2 pisos, acessíveis apenas por elevadores.

Este andar de 2 pisos é o mais visitado, foi o que mais marcou a história da Torre Eiffel, inicialmente como estação meteorológica, antena de telegrafia, posto de escuta dos rádios transmissores da primeira guerra mundial.

Abriga várias antenas transmissoras de TV, telefonia e da estação de rádio inaugurada em 06/02/1922.

Mas a terceira plataforma, também esconde um minúsculo apartamento — que pertenceu ao seu construtor Alexandre Gustave Eiffel, decorado a seu gosto, recusou ousadas ofertas para aluga-lo, ou vende-lo.

Atualmente a Cidade de Paris homenageia a memória de seu idealizador e de seus mais próximos, com seus respectivos manequins de cera, como sua filha Claire Eiffel, codesigners Émile Nouguier, Maurice Koechlin, além de seu amigo inventor do rádio e da lâmpada elétrica Senhor Thomas Edison, quando lhe apresentava sua invenção — o primeiro fonógrafo, sobre a cômoda.

Na cena, típica do século XIX, os utensílios pertenceram ao Senhor Eiffel, há um pequeno armário, tapetes, duas poltronas de veludo, papel burguês nas paredes e três quadros pendurados, um representa o viaduto Garabit, o outro é a
cúpula do observatório de Nice, duas grandes obras de Eiffel na França, e o último está escrito em ideograma asiático.

Nota-se que o ambiente era bem maior e retangular na época, hoje está menor em favor de outras instalações de interesse da França.

A Torre Eiffel pode se afastar!

Devido uma onda de forte calor registrada em 1976, o topo da torre sofreu um deslocamento que oscilou em 18cm.

No ano de 1999, durante uma forte tempestade, ocorreram ventos de 240kph, e houve um afastamento de 13cm.

Mas, Gustave Eiffel e sua equipe em seus estudos permitiram uma variação de até 70cm. Assim a Torre Eiffel vai resistir as intempéries por um longo tempo!

Torre Eiffel – História
Um desafio da era industrial - A origem do projeto

A origem da construção da Torre Eiffel é fruto da vontade do homem em querer se superar.

Cada civilização tem pelo menos tentado construir uma obra mais elevada e o mais alto possível, o desafio da gravidade é algo instintivo como sinônimo de poder. Mas esta corrida tem seus limites, tais como os materiais de construção.

Até a era pré-industrial o único material capaz de suportar cargas pesadas inerentes a grandes e altos edifícios eram de pedra, principalmente de granito conhecido pela sua resistência e força.

Porém, com a entrada da era industrial, tudo mudou. O aparecimento do metal como um material aplicável à construção de edifícios diminuiu o peso da própria construção, e é natural que novas hipóteses foram surgindo, abrindo grandes possibilidades para o campo de arquitetura.

Em 1884, o negócio de construção de pontes de Gustave Eiffel estava prosperando, com muitos projetos, várias obras em aberto. Ele havia projetado pontes, estações de trem, postes, e até mesmo a estrutura interna da estátua da liberdade.

Sua empresa trabalhava com um grande número de funcionários, hierarquia rígida, onde os homens mais experientes dirigiam os serviços. 

Entre o ano de 1884 até 1886, período em que o Senhor Gustave Eiffel definiu sua vida e de sua empresa, período e local onde a torre realmente começou.

Uma ideia que se transformou em projeto - a construção de uma Torre com mais de 1.000 pés de altura, ou seja, com mais de 300m de altura.

Assim o projeto da Torre Eiffel, representou um avanço para a época, pois, enquanto os arquitetos pensavam em planos para construir uma torre, os engenheiros estavam também olhando para diferentes técnicas de forjamento e a rebitagem, inclusive possíveis diferentes metais alternativos para a construção.

A origem da Torre

Maurice Koechlin era o líder de projeto do escritório da empresa de Eiffel. Émile Nouguier era o líder do setor de métodos, encarregado de estabelecer o detalhamento na construção das estruturas de pontes e edifícios.

O concurso sobre o portal de entrada da Exposição Mundial, já havia sido lançado pelo Ministério da Industria e Comércio da França na comunidade mundial, e o tempo já estava correndo.

Havia algumas ideias em andamento, por exemplo um projeto em forma de pirâmide, no entanto Gustave Eiffel se recusa a fazer, mas encoraja-os a prosseguirem os seus estudos sobre este assunto. Ele disse que tinha em mente construir uma torre como portal de entrada da exposição.

Mas precisava de permissão da cidade para construí-la, e de um cronograma de construção preciso da obra.

Foi assim que Maurice Koechlin, em 06 de junho de 1884, apresentou um primeiro rascunho.

Eiffel não se entusiasmou, mas o arquiteto Stephen Sauvestre, (nome que não aparece nos registros técnicos), rabiscou em cima do mesmo, tudo aos olhos de Eiffel, abriu mais os pedestais e bases de alvenaria, adicionou arcos em cima na inclinação dos pilares, interligou as duas plataformas, uma no meio da junção e a outra na junção dos pilares.

Juntou uma terceira plataforma de manutenção na zona dos arcos superiores que asseguram a resistência da base.
(clique em qualquer foto para ver no tamanho original/slide)
Monsieur Sauvestre também mudou um pouco a estética, adicionando um campanário no topo. Agora deixou de ser mais um projeto de engenharia, mas um projeto arquitetônico que valorizava a Exposição Mundial, e esta foi toda a diferença aos olhos de Monsieur Eiffel. Foi assim que o projeto tomou forma, pensado por quatro cabeças, quando Monsieur Gustave Eiffel acreditou ter alcançado a ideia final, comprou os desenhos de seus funcionários, Messieurs Maurice Koechlin, Emile Nouguier e Stephen Sauvestre, e, em 18 de setembro de 1884, depositou a patente em seu nome, por esse detalhe a torre de 300 metros ficou em seu nome.

Base de Cálculos

Os cálculos da Torre Eiffel foram a base para toda a elaboração dos planos, pois, existem dois tipos de reforço nos cálculos, a força vertical devido à carga, ou seja, o peso da torre sobre si mesma, e a força horizontal de resistência as tensões de estresse lateral contra o vento.

Os planos

Os planos foram traçados rapidamente com a ajuda de mais 50 engenheiros e designers que executaram quase 5.300 desenhos, descrevendo-a como um monumento e a maior precisão possível.

O concurso

Em setembro de 1884, após o registro da patente ser apresentado, e cronogramas prontos, em seguida, começa a fase de detalhamento. O primeiro problema para construí-lo, foi obter as permissões.


Para Eiffel a resposta era óbvia, devia estar no Champs de Mars, Paris, e servir como portal de entrada para os visitantes da Expo Mundial, que iria se realizar em 1889. Portanto, com seus planos nas mãos, Eiffel estava confiante para ganhar este concurso.

Entretanto, Edward Lockroy, Ministro da Industria e Comércio, recebeu 107 propostas, e em 12 de maio de 1886, formou uma comissão para estudar e avaliação da execução do projeto, composta pelas seguintes personalidades:
O ministro de Comércio e Indústria (presidente), J. Alphand (ação do diretor Cidade de Paris), o Sr. G. Berger (ex-comissário da International Expositions), o Sr. E. Brown (arquiteto, professor da Escola de Belas Artes), o Sr. Ed. Collignon (engenheiro-chefe de Pontes e Estradas), o Senhor V. Contamin (professor da Ecole Centrale), o Sr. Cuvinot (senador), o Senhor Hersent (Presidente da Sociedade de Engenheiros Civis), Hervé-Mangon (Membro do Instituto), o Senhor Ménard-Dorian (MP) Senhor Molinos (Administrador Forges e Siderurgia), Senhor Admiral (Diretor do Centro) e Mr. Phillipps (Membro do Instituto).

Após estudo detalhado desses 107 projetos, foram removidos uma grande quantidade, os mais grotescos, mas alguns eram concorrentes diretos do Senhor Eiffel, por exemplo do Senhor Jules Bourdais (1835-1915), foi um projeto com a construção de um farol gigantesco no seu topo.

No final, o projeto Eiffel venceu a competição, mas não foi fácil, foi um dos projetos mais plausíveis em relação aos demais.

O argumento de que a Torre havia a capacidade de ser usada para experiências técnicas ou científicas, pendeu a balança a favor de Eiffel graças as três plataformas em que se pode armazenar equipamento científico, mas não era uma promessa vazia:

A torre realmente apoiou muitas experiências científicas, e ajudou a avançar significativamente a ciência no campo da aeronáutica, meteorologia, difusão, etc. Este argumento também ajudou a salva-la da destruição, 20 anos depois.

A discórdia de sua construção

O movimento de personalidades da arte e da cultura desde logo se ergueu, exigindo a demolição pura e simples da torre, que consideravam um atentado ao bom gosto. Entre os muitos intelectuais franceses indignados, incluindo Charles Gounod, Charles Garnier e Alexandre Dumas protestaram vigorosamente contra o projeto e tentaram através da mídia, a opor-se a construção da Torre Eiffel.

Certo cidadão Senhor Guy de Maupassant escolheu para comer no restaurante da torre declarando que foi o único lugar em Paris, que não enxergava aquela estrutura monstruosa!

A imprensa publicou ácidos artigos, em que a descreveram como uma "monstruosidade inútil". Hoje, a Torre Eiffel é um ícone nacional e o título de "monstruosidade" agora pertence à Companhia Torre Montparnasse.

Nada conseguiram, uma vez que as taxas cobradas aos visitantes da torre geravam grandes receitas de que a municipalidade não queria abdicar. Mais tarde, quando a concessão de 20 anos do terreno para a exposição terminou, os críticos viram nova oportunidade para exigir a sua demolição.

Eiffel recorreu de novo à sua influência e persuasão e convenceu as autoridades que Paris tinha grande necessidade de uma torre de comunicações, de um gabinete meteorológico e de uma escola de estudos aerodinâmicos. Conseguiu assim manter de pé a sua obra.

Ironicamente, o Senhor Eiffel passou os anos que se seguiram a evitar que a sua torre fosse desmantelada.

O detalhamento da obra está no Livro “La Tour de 300 M'Tres” de Gustave Eiffel

Todos os dados sobre o projeto foram compiladas num livro assinado por Gustave Eiffel, " La Tour de 300 M'Tres", com 47 planos de detalhamento, que explora toda a concepção e construção, publicado em 1900, numa edição limitada de 500 exemplares, 11 fotografias da construção, 53 placas de página dupla. O que é notável é que as placas são as páginas duplas sobre papel vitela em grande formato.

Tudo no livro está organizado em ordem cronológica de construção.

O primeiro item é um desenho de montagem, em seguida, projeta sucessivamente as fundações, enquadramento, instalações, montagem dos elevadores, a escada inferior, a primeira plataforma e cálculo de enquadramento.

Outras melhorias dizem respeito a 1900, como salas e restaurantes e o elevador Fives-Lille.
Elevadores de 1889 - Com ascensorista do lado externo
Elevadores atuais
 .
Apesar da maratona, as escadas são abertas e seguras apenas até a segunda plataforma.
 .
Entrada ao elevador do Pilar Leste 

O contrato

O contrato foi assinado em 08 de janeiro de 1887, praticamente 2 anos antes da abertura da Expo Mundial. A assinatura do acordo que estabelece os termos de construção e operação da torre, entre Edward Lockroy, Ministro da Indústria e Comércio, Eugene Bin, o prefeito do Sena (em nome do a cidade de Paris) e Gustave Eiffel.
(clique em qualquer foto para ver no tamanho original/slide)
Este acordo prevê a localização da torre, que tinha sido objeto de longas discussões, o cronograma de construção, e um andar obrigatório com espaço para experimentos científicos, incluindo experiências militares, assim o calendário ficou extremamente apertado e, principalmente para financiamento, uma vez que os subsídios do governo de meio milhão de francos eram bem abaixo do dos 6 milhões e meio de francos, previstos em contrato, portanto Eiffel teve o apoio de 23% e os 77% foi deixado aos seus cuidados (recursos próprios e de agentes financeiros).
(clique em qualquer foto para ver no tamanho original/slide)
Por força contratual, coube ao construtor a exploração da torre por um período de 20 anos, o que lhe permitiria não só o reembolso dos custos e o eventual lucro nos próximos anos, assim a Torre passou a ser propriedade da cidade de Paris, a partir de 31 de dezembro de 1909.

A construção da torre (1887-1889)

A construção da torre durou um pouco mais de 26 meses e três dias.

A cerimônia de início da obra foi em 28 de janeiro de 1887, e o hasteamento da bandeira no topo aconteceu em 31 de março de 1889, e inaugurada com a presença do Príncipe de Gales que, posteriormente, se tornou o Rei Eduardo VII do Reino Unido.

Foi considerada a edificação mais alta do mundo até 1930.

Apesar de a torre levar o nome Monsieur Gustave Eiffel, ele não foi o único a trabalhar nela, a história narra por mais 3 arquitetos que trabalhavam em sua companhia, especializadas em estruturas metálicas, Messieurs Émile Nouguier, Maurice Koechlin, e o arquiteto esquecido Charles Léon Stephen Sauvestre.

Fundações e pedestais dos pilares

O primeiro grande trabalho foram as fundações e os alicerces dos pilares para apoiar o conjunto de cada base da torre. Suas escavações duraram cinco meses, feito pelo esforço de braços humanos. As estacas foram puxadas por por cavalos por muitas vezes, algumas vezes por locomotivas a vapor.

Só não houve dificuldades para a construção dos pilares 2 e 3, ao lado do Campo de Marte, mas os pilares 1 e 4, 15 m mais profundos, por estarem próximo do Rio Sena, as suas fundações foram feitas com ar comprimido, utilizando chapas de metal prensado como invólucro das estacas 5 m abaixo de água.

A montagem da estrutura metálica

Em 01 de julho de 1887 iniciou a construção da estrutura metálica. Na primeira fase da montagem foi tudo muito simples, as peças eram produzidas e pré pintadas na fábrica, e unidas partir do solo, sem andaimes e gruas. Mas a partir dos 30 m de altura já não era mais possível fazê-lo, foram construídos 12 andaimes de madeira, e outro andaime de 45 m de altura, e ainda foi construído outro andaime bem mais forte, capaz de receber vigas de 70 toneladas para o primeiro andar.

Foi graças a esses andaimes que os trabalhadores montaram as peças que formaram a primeira plataforma a 57m de altura, encerrando-a em 07 dezembro de 1887, em pleno inverno. Nessa primeira plataforma foram montados os andaimes para continuar a construção até os 115m de altura, local da segunda junção, fase encerrada em 14 de agosto de 1888. A fase restante até o cume, foi bem mais fácil.

Na área da obra trabalharam entre 120 e 250 homens, e somam-se ainda, acima de 300 operários entre as oficinas Eiffel em Levallois-Perret, no subúrbio Norte de Paris e nas oficinas do do Senhor Dupont, com sede em Pompeu, subúrbio de Nancy, Lorraine. Nesta fábrica do Senhor Dupont, foram confeccionadas em ferro fundido num total de 18.038 peças e junções, que foram conectadas com 2,5 milhões de rebites.

Vale lembrar que nas oficinas Eiffel em Levallois-Perret, nas peças fabricadas, foram adicionados parafusos provisórios para serem utilizados como degraus de apoio dedicado aos trabalhadores escalarem a torre, depois esses parafusos foram substituídos por rebites definitivos.

Após a conclusão da Torre, estimou-se o peso em aproximadamente 10100 toneladas.

Apesar das obras serem concluídas em 31 de março de 1889, 35 dias antes do prazo para inauguração da Exposição Mundial, 05 de maio de 1889, durante sua construção, não houve a perda de um único trabalhador a se lamentar.

Porém antes de iniciar o inverno de 1888, os trabalhadores iniciaram uma greve, em que exigiam uma escala de trabalho, e um melhor prêmio pelo risco, dada a altura em que os operários trabalhavam. Gustave Eiffel aumentou o prêmio de risco, e ressaltou que os trabalhadores eram os mais bem pagos comparados com qualquer outra obra no pais, mas se recusou a indexar o prêmio como salário, uma vez que o risco sempre existiu, independentemente da altura em que se trabalhava.


Mas mesmo assim, incluem na história da torre, um trabalhador que num domingo, andava com sua noiva na torre, que após a perda de equilíbrio, caiu. Esta morte terrível não pode ser atribuída ao próprio local da construção.

Com a altura final de 300 metros, mas o seu tamanho foi aumentado para 324m, com a instalação de antenas e a inauguração da estação de rádio francesa em 06 de fevereiro de 1922.

Considerada a maior estrutura metálica construída pelo homem até 1930, quando foi superada pelo edifício Chrysler em Nova York.

A concessão inicial - 1889-1909
Cerimônia de inauguração

A cerimônia de inauguração da torre Eiffel foi realizada 31 de março de 1889, e começou exatamente ao meio-dia no Pilar Oeste, onde 200 trabalhadores estavam reunidos com o Sr. Eiffel, e representantes do Conselho de Paris, onde depois de um breve lanche, o Senhor Eiffel junto de seus mais próximos colaboradores e autoridades, deixaram os trabalhadores e subiram os 1710 degraus para chegar na terceira plataforma, em seguida, subiu ao mastro.
Assim que Gustave Eiffel içou a bandeira tricolor, todos desceram, e a cerimônia foi palco de discursos para honrar a França de orgulho e agradecimentos.

Com a presença do ministro francês Tirard e o curador da Exposição Mundial de 1889, Senhor Alphand participando dos discursos.

Os trabalhadores propuseram que o senhor Gustave Eiffel recebesse o prêmio Grande Oficial da Legião de Honra.

Na sequencia para encerrar foi servido mais um lanche, era o fim da inauguração.
Porém a torre somente foi aberta ao público em 15 de maio de 1889, dia da inauguração oficial da Exposição Mundial.

Um sucesso popular que perdura ...

Apesar da campanha de difamação que sofreu antes de sua construção, e quando da abertura da Exposição Mundial, foi um enorme sucesso popular.

O efeito da feira mundial foi importante para a torre, entre os 32 milhões de visitantes, 1 em cada 16 visitantes, foi ao topo da torre, ou seja 2 milhões de pessoas a visitaram entre 15 de maio de 1889, até o encerramento da exposição em 31 de outubro de 1889, numa frequência média de 12000 visitantes por dia.

Para os anos seguintes, proporcionalmente não foi esse movimento, porém entre 1 e 2 anos de operação o Senhor Gustave Eiffel liquidou todas as dívidas que a torre havia gerado em seu nome, portanto, a renda dos anos seguintes, o levou a prosperar economicamente.

Interesses científicos da torre

Mas em 31 de março de 1909, chegou ao final da administração por Gustave Eiffel e o desmonte da torre por força contratual.

Entretanto, o interesse científico é o argumento final que salvou a Torre Eiffel de sua eliminação da cidade de Paris.

Desde o início foi projetada como uma fonte de experimentos, Gustave Eiffel em seu período de administrador, multiplicou as autorizações para a utilização da torre com fins científicos.

O sucesso que a popularizou diminuiu, assim a torre ao longo dos anos vai se transformando como de interesse científico.

Por sua vez, a torre ia tornando-se essencial suporte para:
• A estação meteorológica (1889 - Eleuthere Mascart)
• Uma antena herzienne (1898 - Eugene Ducretet realiza uma comunicação telefônica entre a torre e o Panteão)
• Antena de telegrafia (1903 - Gustave Ferrié estabelece uma comunicação telégrafo sem fio)
• Um laboratório de aerodinâmica (1909 - Gustave Eiffel realiza testes estruturas aerodinâmicas).

Em 1909, o Exército francês, através de seu porta-voz o General Gustave Ferrié, tornou-se interessado em tecnologia de transmissão sem fio, foi assim que o ministro se sentiu pressionado para manter esta torre gigantesca de interesse para o país.

Naquela época, os testes ainda não são conclusivos, mas entre as exigências do exército e outras aplicações civis, as autoridades entenderam que não deviam desmanchar a torre, e, em 1910, o governo francês ampliou a concessão para mais 70 anos em favor de Gustave Eiffel.

Um triste acontecimento

Em fevereiro de 1912, um lamentável fato marcou a Torre Eiffel, um alfaiate chamado Franz Reichelt, de Longjumeau, apresentou à imprensa uma roupa que supostamente faria retardar a queda de um homem. 

Exemplo de vestimenta que ficou chamada como antecessora do paraquedas, feita sob a forma de uma combinação de tecido cortado no modelo de asas de morcego.

No dia marcado às 8h da manhã, os jornalistas estavam ao pé da Torre Eiffel para ver a façanha do cidadão saltando da primeira plataforma, a 57m de altura e pousar lentamente no piso. A aterrizagem não saiu como planejado, e o Senhor Reichelt caiu violentamente contra o piso de Champ de Mars, causando sua morte instantaneamente.

A Primeira Guerra Mundial – 1914 - 1918

Quando a Primeira Guerra Mundial estourou, a torre havia sido construída há apenas 25 anos. Apesar do Senhor Eiffel administra-la na forma de concessão, a partir de 1909, pertencia a cidade de Paris. Assim nos últimos anos, vários testes foram sendo feitos pelo exército, que gradualmente a foi usando como ponto de apoio.

Neste ponto a 300m de altura no centro de Paris captava mensagens de longas distâncias e proporcionou muitas vitórias na França. Conta a história que através da torre, foram captadas mensagens particulares que levaram à prisão a espiã a serviço do exército alemão Mata Hari. Seu nome era Margaretha Gertruida Zelle, nasceu em Leeuwarden, 7 de agosto de 1876 — Vincennes, 15 de outubro de 1917, conhecida mundialmente como Mata Harifoi uma dançarina exótica dos Países Baixos acusada de espionagem que foi condenada à morte por fuzilamento, durante a Primeira Guerra Mundial.

Nesta guerra a Torre Eiffel, tornou-se de grande interesse, pois provou a sua utilidade e, especialmente como principal apoio nos avanços da radiodifusão e televisão, porém os baixos ingressos devido as restrições da guerra, a sua manutenção foi precária, sendo fortemente criticada pela imprensa.

O período entre guerras - 1920-1939
Avanços na Radiodifusão graças das antenas na Torre

Depois da Primeira Guerra Mundial o uso da TSF - Telegrafia Sem Fios se espalhou pelo mundo, porém só em 1920 foi configurada ao público, e bem depois, em 1921 que os primeiros programas de rádio foram transmitidos regularmente, porém em 06 de fevereiro de 1922, foi inaugurada oficialmente a "Rádio Tour Eiffel", programa iniciado por Sacha Guitry, com o apoio do General Ferrié, mas a Televisão somente chegou em 1925, o ano dos primeiros testes, porém as emissões de sinais, somente foram disseminadas a partir de 26 de abril de 1935.

Em 1937, Paris foi sede da "Exposição Internacional de Artes e Técnicas aplicadas à vida moderna", realizada em Paris a partir de 25 maio - 25 novembro 1937.

Uma exposição inicialmente bastante simples, mas permitiu grandes obras em Paris, além do acolhimento de milhares de visitantes.

Na ocasião, vários edifícios parisienses foram melhorados;  O Trocadero Palace foi demolido, substituído pelo Palácio Chaillot, também construído o Tokyo Palace, a Torre Eiffel foi renovada com a remoção das decorações da primeira plataforma e a instalação de uma nova iluminação, bem mais eficiente.
Foi nesta ocasião que os 72 nomes ao redor desse andar ganharam relevo.

A Segunda Guerra Mundial - 1939-1945

Este período não foi nada saudável à Torre Eiffel. A Cidade de Paris foi ocupada pelos alemães em 1939, a torre continuou a funcionar normalmente, e, os alemães instalaram um transmissor para 441 linhas Telefunken, "Fernsehsender Paris" – o Canal de TV de Paris. Assim nesse período foi o único transmissor de televisão a operar na Europa.

Os programas foram projetados para informar e entreter, naturalmente em alemão. Instalaram também no campanário da torre um projetor com feixe de luz, para guiar os aviões na noite de Paris, principalmente para evitar a perda de seus aviões.

A história conta que Paris ainda estava sitiada pouco antes da rendição alemã, e a Torre Eiffel poderia ter sido derrubada em 1944, somente não foi pelo fato de que a ordem nunca chegou, o que nos permitiu ainda tê-la até os dias atuais.

Após os norte-americanos instalaram no topo um radar para proteger toda a França.

Desde a Segunda Guerra Mundial até 1980 - 1945-1980
Avanços na Transmissão Televisiva

Após a Segunda Guerra Mundial, o progresso reafirmou a continuação das experiências de comunicação sem fio, com a instalação de um novo transmissor de TV para 819 linhas, em seguida, trocaram por um outro que marcava o final das transmissões em preto e branco.

Em 1953, foi enviado ao ar a primeira transmissão em Eurovision, evento que permitiu que todos pudessem assistir a coroação da rainha Elisabeth II.

Em 1959, a Torre Eiffel recebe uma nova antena, elevando o seu tamanho para 318.70 m para 324m.

Finalmente, em 2005, foi trocado por um novo transmissor TDT - Televisão Digital Terrestre.

Renovações da torre

Em 1952, ela recebeu um novo farol aeronáutico que substituiu o modelo “Mont Valerien”, destruído durante a guerra.

As pinturas foram realizadas a cada 7 anos desde inauguração da torre, com exceção na primeira guerra mundial, mas foram reiniciadas após 3 anos.

Em 1980, das 1340 toneladas iluminadas, foram removidas muitas vigas desnecessários, em seguida foram substituídos, escadas e elevadores que estavam se tornando obsoletos.

Foram adicionados recursos de segurança para lidar com a explosão de turistas dos anos 80.

A renovação da pintura cor de couro foi acompanhada de um tratamento anticorrosão em toda a Torre, e, finalmente, a reforma do sistema de iluminação, composto de 352 projetores de sódio.

Em 1º de janeiro de 1980, também marcou o final da concessão de Gustave Eiffel, que faleceu em 1923 e vinha sendo operada por empresa que pertencia a sua família.

A nova empresa concessionária SNTE-Société Nouvelle d'Exploitation de la Tour Eiffel, que pertencia à cidade de Paris e um banco privado, operou até o ano de 2005. Após entrou em operação a SETE-Société d'exploitation de la Tour Eiffel.
Em 2011, a primeira plataforma foi reformada, as lojas foram modernizadas e instalado um novo piso de vidro que faz o divertimento dos turistas, e em fevereiro de 2015 foram instaladas duas turbinas eólicas com capacidade de gerar 10 MWh por ano.

Alguns números e datas sobre a Torre Eiffel

O que torna a Torre Eiffel ainda mais fantástica, e causa admiração ao trabalho de arte nela existente, especialmente, porque todos sabemos pelo pouco tempo disponível para a sua construção, comparados com os recursos de engenharia existentes hoje.
• Abertura do concurso: 1884
• Registro da patente: 18 de setembro de 1884
• Número de projetos concorrentes da Torre Eiffel: 107
• Formação da comissão julgadora: 12 de maio de 1886
• Assinatura do contrato de construção: 08 de janeiro de 1887
• Início da construção: 28 de janeiro de 1887 (Fundações)
• Início da construção: 1 de julho de 1887 (estrutura metálica)
• Greve dos trabalhadores: outubro de 1888
• Total do tempo de construção: 2 anos, 2 meses e 5 dias
• Inauguração da torre – hasteamento da bandeira no topo: 31 de março de 1889 - 35 dias antes do prazo de inauguração
• Inauguração oficial da Exposição Mundial: 31 de maio de 1889
• Período do contrato de concessão: 31 de maio de 1889
• Período da concessão: 20 anos – até 31 de dezembro de 1909
• Concessão prorrogada por mais 70 anos: 1909 - 31/12/1979
• Inauguração da estação de rádio: 06 de fevereiro de 1922
• Falecimento de Gustave Eiffel: 1923
• Encerramento do 2º período de concessão: 31 de dezembro de 1979

Sua estrutura e dimensões

=> Altura inicial de projeto: 300m
=> Altura inicial: 312m (chão ao topo com o mastro da bandeira)
=> Atual Altura: 324m (do chão ao topo das antenas)
=> Altura da primeira plataforma: 57m
=> Altura da segunda plataforma: 115m
=> Altura da terceira plataforma: 276m
=> Área do terreno: 125 de cada lado = 15625m2
=> Área da primeira plataforma: 4415m2
=> Área da segunda plataforma: 1430m2
=> Área da terceira plataforma: 250m2
=> Graus da base dos 4 pilares curvos: 54º
=> Graus no topo: quase 0º
=> Número de rebites: 2.500.000
=> Número de peças em ferro fundido em treliça: 18.038
=> Número de degraus: 1710
=> Peso: aproximadamente 10.100 toneladas, incluindo:
=> Peso de estruturas de aço: 7300 toneladas
=> Peso da pintura: 60 toneladas - renovada a cada 7 anos
=> Número de engenheiros: 25
=> Número de operários: 280    
=> Número de operários nas oficinas contratadas: ~300
=> Número de projetores: 336
=> Número de lâmpadas cintilantes: 20 000
=> Transmissores de TV analógica: 6
=> TNT-Turner Network Television: 48
=> Transmissores de Rádios: 31
=> Número de negócios instalados: 120
=> Custo da construção: indefinido, se sabe apenas que foram 23% de subsidio e 77% responsabilidade Senhor Eiffel.

Curiosidades sobre a Torre Eiffel

=> Palco das primeiras selfies
Primeiras selfies
=> Foram apresentados 107 projetos, entre eles, um em forma de regador, que seria útil nos dias de mormaço. Outro em forma de guilhotina de 300 m de altura para homenagear as vítimas do terror, período que marcou a revolução francesa.

=> O adversário mais sério do Senhor Eiffel foi o arquiteto Jules Bourdais, defensor intransigente de estilo tradicional, seu projeto era em alvenaria nos mesmos moldes em que projetou o palácio de Trocadero, legado da exposição de 1878.

Primeiras selfies
=> Declaração dos indignados, contra a construção da torre: “Honrados compatriotas, nós escritores, pintores, escultores, arquitetos, amantes apaixonados da beleza de Paris - uma beleza até agora intocada - vamos protestar com todas as nossas forças, com toda a nossa indignação, em nome do desprezado gosto francês, em nome da arte e história ameaçada, contra a ereção bem no coração da nossa capital, da inútil e monstruosa Torre Eiffel”.

=> A vitória do Senhor Eiffel foi uma vindicação da estética da engenharia, um triunfo do presente sobre o passado. A primeira batalha entre o ferro e a pedra tinha acabado.

=> Certo dia, durante a construção, o Senhor Eiffel olhou fixamente para a sombra que a torre lançou no chão, e percebeu que a sombra se moveu no vento, e questionou como a mesma reagiria sob um forte vendaval? Eiffel emitiu uma declaração em que ele, pessoalmente, assumiu total responsabilidade por todo e qualquer dano se a estrutura entrasse em colapso.

=> A Torre Eiffel está localizada no Champ de Mars em Paris, França, e é uma das estruturas mais famosas e mais visitadas do mundo. Em qualquer situação, o melhor da torre é a visão panorâmica de seu ponto mais alto.

=> O Senhor Gustave Eiffel se divertia dizendo; “a torre foi moldada pelas forças do vento".

=> Durante a Exposição Mundial, o Senhor Gustave Eiffel comentou; "Eu deveria ter ciúmes da torre, é muito mais famosa do que eu".

=> Entre os intelectuais indignados com a construção da torre, o senhor Guy de Maupassant escolheu para comer no restaurante da torre declarando; foi o único lugar em Paris, que ele não enxergava aquela estrutura monstruosa!

=> Estrategicamente a Torre Eiffel foi apenas um "adorno" na Exposição Mundial de 1889 - O tamanho e a grandeza da feira foi inigualável, lamentamos o seu desmanche.  
.
=> Monarcas estrangeiros, como Grã-Bretanha, Itália, e Rússia ignoraram oficialmente a Exposição Mundial de 1889, justamente porque esta celebrava a revolução francesa, e como resultado apenas 16 dos 43 países convidados estavam presentes, porém a frequência foi três vezes maior do que a soma das exposições de 1855 e 1867.
=> A Exposição Mundial gerou para a França um lucro líquido de 8.000.000 de francos.
=> Visitantes da Exposição Mundial - 15/5/1889 – 31/10/1889: 32.000.000
=> Visitantes da Torre no mesmo período: 1.600.000
=> Retorno financeiro: Senhor Eiffel quitou todas as pendências financeiras entre o 1º e o 2º ano.
.=> O pórtico da Galeria das Máquinas foi projeto da Empresa de Gustave Eiffel - 1867
.
=> O pórtico da Galeria das Máquinas foi projeto da Empresa de Gustave Eiffel - 1867
=> A Galeria das Máquinas para a Exposição Universal de Paris foi projeto da Empresa de Gustave Eiffel -1867
=> Ironicamente, o Senhor Eiffel passou os anos que se seguiram a evitar que a sua torre fosse desmantelada, portanto evitou que tivesse o mesmo destino de toda a exposição mundial.

=> A Torre Eiffel foi de vital importância para os militares franceses na 1ª Guerra Mundial, como base espiã para interceptar as mensagens dos alemães que procediam de Berlim, de codinome “H-21”, que disfarçadamente a chamavam de Mata Hari.

=> Da mesma forma a Torre Eiffel foi considerada estratégica e cobiçada pelos alemães na 2ª Guerra mundial, que a batizaram de "o ninho da águia”.

=> O presidente francês Charles De Gaulle (08/01/1959 – 28/04/1969), num acordo secreto com o prefeito canadense Jean Drapeau, para desmonta-la e transferi-la a Montreal, a pretexto da celebração do centenário do Canadá, por sorte a companhia concessionária dos serviços da Torre Eiffel vetou a decisão do governo, por desconfiar sobre a disposição do governo francês em retorna-la à posição original.

=> O Senhor Gustave Eiffel reservou a ele um espaço para ficar longe do barulho de uma cidade movimentada como Paris. Foi assim que, manteve um pequeno apartamento continuamente fustigado por ventos frios nos seus 285 metros de altura. Talvez seja esse o detalhe, que o fez receber algumas ofertas tentadoras para vender ou alugar o apartamento. Não aceitou a nenhuma delas.
=> Tamanha é a importância da Torre Eiffel no mundo moderno para o fluxo do turismo, que ela ganhou diversas réplicas, entre elas, na China (como portal do bairro Paris Oriental Tianducheng Hangzhou), em Las Vegas (Portal do Hotel Paris), e no Tennessee (Eiffel Tower Park, Paris).




O golpe: A Torre Eiffel foi vendida

Após a primeira guerra mundial, a torre estava muito mal conservada e os jornais estavam criticando diariamente tal situação.

Em 1925, um certo vigarista, falsário, e impostor envolvido com gângsteres, chamado Victor Lustig, austríaco, fluente em vários idiomas, tornou-se rico por negócios fraudulentos, procurado internacionalmente tanto na Europa, como nos Estados Unidos, que ao tomar conhecimento desses artigos, de alguma forma se apoderou de algumas folhas de papel para cartas do Ministério dos Correios francês.

Ele escreveu cartas para cinco empresários franceses, convidando-os para uma reunião secreta em um hotel de Paris.

Quando os homens de negócios chegaram, um amigo de Lustig os levou para uma sala privada, alegando ser Secretário do Sr. Lustig.

Os cinco empresários já estavam acomodados em uma grande mesa e esperaram pelo Sr. Lustig.

Então, Lustig ao entrar na sala, disse: "Eu tenho uma notícia importante de muito segredo, a Torre Eiffel está numa condição precária e perigosa. Infelizmente nós vamos ter que demoli-la. Tenho certeza que vocês entendem por que você estão aqui — Há 70.000 toneladas de metal na Torre Eiffel"

Os cinco empresários ouviram ao Sr. Lustig. Em seguida, se retiraram, depois de uma semana cada um deles ofereceu um valor diferente em dinheiro pela compra de 70.000 toneladas de metal.

O empresário de sorte que a ganhou com a oferta do valor mais alto foi André Poisson.

O Senhor Lustig recebeu seu dinheiro e confirmou que o Sr. Poisson, agora era o proprietário da torre Eiffel.

Lustig e seu "secretário" deixaram o país imediatamente. Mas Poisson sentiu-se tão envergonhado pela sua decisão, que não procurou pela polícia.

Quando o Senhor Lustig percebeu que o Senhor André Poisson não contou a ninguém, retornou a Paris. Acreditem ou não, ficou livre para vender a Torre Eiffel pela segunda vez!

Lustig foi preso algumas vezes por outros crimes fraudulentos, e acabou morrendo na prisão de Alcatraz em São Francisco no ano de 1947.

Alexandre Gustave Eiffel – Sua vida e sua família

Alexandre Gustave Eiffel nasceu em 15 de dezembro de 1832, Dijon, França, faleceu em 27 de dezembro de 1923, Paris.

Um grande admirador da literatura clássica, com uma vasta biblioteca de obras encadernados em couro por Voltaire, Zola, Hugo, e outros. Ele publicou 31 livros e tratados que documentam seus inúmeros projetos e experimentos durante sua vida.

Nasceu numa família considerada rica do século XIX, filho de pai alemão, um consagrado comerciante de tapeçaria em Dijon, o jovem Alexandre Gustave rejeitou seguir o comércio da família, ao se juntar ao exército da França aos 16 anos.

Sua mãe além ter sido a responsável por sua educação, também era proprietária de um negócio de carregamento, armazenamento e entrega de carvão, que o ajudou a iniciar seu próprio negócio, e os dois permaneceram muito próximos por toda a vida.

Gustave Eiffel ficou devastado quando tentou casar-se com a filha de Madame de Grangent, e foi recusado. Porém com o passar do tempo, conheceu e casou-se em 1862 com a senhorita Marie Guadelet.
O casal teve 5 filhos e viveram por quinze anos felizes, quando Marie pegou pneumonia, desencarnando em 1887. Eiffel ficou novamente devastado, permaneceu viúvo em seus últimos 36 anos de vida.

Quando menino teve forte influência de seu tio Jean-Baptiste Mollerat, um químico bem-sucedido inventor do processo na destilação do vinagre de madeira, e um outro químico local, Michel Perret, ambos atenderam as curiosidades do jovenzinho, com ideias sobre tudo, desde a mineração, a química, a religião e a filosofia.

Graduou-se arquiteto em 1855, École Centrale des Arts et Manufactures, sem perspectivas de emprego em vista, Alexandre Gustave Eiffel, foi trabalhar com Charles Nepveu, um funcionário da sociedade francesa de Engenharia Civil.

Em 1858, com a idade plena de 25 anos, o Senhor Eiffel teve sua primeira grande chance, foi supervisionar a construção de uma ponte de 1.600 pés de ferro fundido, que iria atravessar o Rio Garonne, perto da cidade de Bordeaux, inspirado, desenvolveu a primeira de muitas inovações de engenharia significativa: um sistema de prensas hidráulicas (máquinas que foram operados pela água, vapor e ar comprimido), o que permitiu trabalhar em estruturas com fundações em rios a 80 pés de profundidade. O Senhor Eiffel ganhou reputação de engenheiro inovador e eficiente.

Em 1864, agora casado se estabeleceu definitivamente em Paris, e arriscou-se com seu próprio negócio, e ao longo de 20 anos passou por sua empresa obras importantes; pontes e viadutos na França, diversas pontes ferroviárias em Portugal e Espanha, a estrutura que sustentava a Estátua da Liberdade, em Nova Iorque, e as menos conhecidas pontes portáteis que ainda hoje atravessam muitos rios, nomeadamente na América do Sul. Obras que o consagrou como construtor bem-sucedido.

Nesses 20 anos, Eiffel desenvolveu numerosos métodos inovadores, por exemplo, projetou o hall de entrada do Palácio das Máquinas para a Exposição Mundial de Paris, 1878, Eiffel desenvolveu um método que criou treliças e arcos resistentes mas leves, que permitiu suportar mais elementos, incluindo a força do vento.

Outro grande projeto foi a construção da ponte de 262 pés sobre o rio Sioule, uma das pontes mais altas do mundo na época. Nesse projeto permitiu a Eiffel testar três inovações importantes, que mais tarde foram aplicadas na construção da Torre Eiffel:
1 - Usou ferro forjado, mais flexível, e capaz de resistir a ventos fortes; em vez do pesado e frágil normalmente utilizado para pontes;
2 - Curvado nas bordas dos pilares, que eram geralmente quadrados ou retangular, para criar uma base estável mais durável;

3 - Desenvolveu um sistema conhecido como "lançamento", para mover mais facilmente peças individuais da ponte no lugar das gangorras.

O Senhor Gustave Eiffel possuía experiência, prestígio e a sólida situação financeira de sua empresa, que foram sem dúvida itens determinantes na escolha do seu projeto para a Exposição Universal.

Mesmo assim as autoridades da exposição consideraram prudente o Senhor Eiffel poupar dinheiro, para suportar os riscos envolvidos na construção e operação da torre.

A chave para o sucesso de Eiffel foi o acordo que assinou com o comitê especial da exposição mundial, contrato que o permitiu auferir toda a renda em benefício de sua empresa como ressarcimento dos custos e manutenção da torre no período de vinte anos.

O Senhor Eiffel recuperou praticamente todo o custo de investimento, entre o primeiro e segundo ano após a abertura da torre. Depois vieram mais lucros adicionais como; concessões de restaurantes, bilhetes do elevador, além das comissões que a fama da torre trouxe para sua empresa – que o enriqueceram ainda mais.
Depois da construção da Torre, Eiffel dedicou-se a estudos científicos nos campos de meteorologia, radiotelegrafia e aerodinâmica.

Fundou a sua própria empresa, quando em 1866 adquiriu uma oficina de construção metálica, próximo de Paris.

Entre seus principais projetos, registram-se;
• Galeria das Máquinas para a Exposição Universal de Paris -1867
• Viaduto de Garabit, sobre o rio Truyère, no sul de França, considerada a ponte mais alta do mundo, na sua época, com 120 m de altura.
• Cúpula do Observatório de Nice.
• Ponte de D. Maria Pia na cidade do Porto - 1876
• Ponte dupla de Viana do Castelo em Portugal - 1877
• Estrutura interna - Estátua da Liberdade - New York - 1886
• Mercado Municipal em Olhão, Portugal
• Ponte Ferroviária em Barcelos, Portugal
• Ponte Rodoviária em Pinhão, Portugal
• Ponte de Fão, Portugal
• Farol de Salinópolis, Brasil
• Farol de São Tomé em Campos dos Goytacazes, Brasil
• Catedral de São Marcos de Arica, Chile
• Ponte de Triana em Sevilha, Espanha
• Palácio de Ferro em Luanda, Angola
 Vista panorâmica - terceira plataforma
Segredos da construção
Segredos em geral
L 
Como os elevadores trabalham - 1
Como os elevadores trabalham - 2
Como os elevadores trabalham - 3
Paris declara seu amor à Torre Eiffel
Torre Eiffel - A legenda
- A Torre Eiffel ganha vida -
Uma história contada pelo ponto de vista da Torre Eiffel.
Agradecemos a todas fontes que tão gentilmente nos permitem acessa-los em busca de informações sobre esse BRAVO homem Alexandre Gustave Eiffel, um exemplo de luta e perseverança por um único objetivo, uma mente privilegiada, que em nenhum momento desviou seu foco, o projeto, nem titubeou durante a construção, a manutenção e sua luta, para mante-la em pé. O mundo inteiro agradece sua bravura!

Monsieur Gustave Eiffel, um BRAVO!

Um especial agradecimento a biblioteca mundial WIKIPEDIA I, WIKIPEDIA II,
Família de Alexandre Gustave EiffelParis Travel, Franch Moments, Top 10, Momentos da Torre Eiffel, Notícias do Universitário, Arthur Chandler, Terceiro EstágioLivro 300m Tower de Gustave Eiffel, Biografia Gustave Eiffel, Imagens, Forum Loundun, Dinheiro Fácil e ao Youtube.

Torre Eiffel, sua história e seus segredos 
Por Wilson Candeias

Poderá gostar de conhecer:

Nenhum comentário:

Postar um comentário