...
NÃO IMPORTA QUEM SOMOS PEDESTRES, PASSAGEIROS, CICLISTAS, MOTOCICLISTAS OU MOTORISTAS ▬ TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ATENTOS E EXERCER A SEGURANÇA QUANDO ESTAMOS NO TRÂNSITO.

Seguidores

Bebidas energéticas misturadas com álcool

Está cada vez em moda entre os jovens misturar bebidas energéticas e álcool.
Um estudo da Universidade do Norte de Kentucky, demonstra que a combinação é perigosa, e que aumenta os riscos associados ao consumo de álcool. De concreto se há provado que acrescentar bebidas alcoólicas aumenta a sensação de excitação e a impulsividade.

Mesmo que já existam dados prévios que apontam que o novo coquetel estava associado a um aumento dos acidentes e lesões, esta é a primeira vez que um experimento científico analisa omparativamente os efeitos do álcool e a mescla do álcool com a bebida energética sobre o comportamento humano.


A embriaguez tem sido a questão de ser o perigo número um para a saúde pública e a principal fonte de morbidade e mortalidade para mais de 6 milhões de estudantes universitários nos Estados Unidos.


Consumo excessivo de álcool geralmente começa na adolescência e continua na juventude e na idade adulta. Estimativas recentes indicam que 1 em cada 5 adolescentes e 1 em 2 estudantes universitários se embriagam.

A embriaguez resultou em inúmeras tragédias relacionadas ao álcool, incluindo intoxicações alcoólica aguda, quedas e colisões de automóveis, e é frequentemente associada com outros comportamentos de alto risco.

Este estudo revela informações mais recentes que agora é conhecido sobre consumo excessivo de álcool e como este tipo de consumo de álcool (beber até se embriagar) difere de beber socialmente e o alcoolismo crônico.

Todas as pesquisas mais recentes sobre este tema estão inclusas, tais como os resultados de estudos recentes em animais que indicam que consumo excessivo de álcool pode ser mais prejudicial para um cérebro adolescente comparado a um cérebro adulto e como as mudanças nas tendências do consumo de álcool (como a mistura bebidas energéticas com álcool) está exacerbando este comportamento.

É muito comum ver pessoas consumindo bebida energética com bebida alcoólica, principalmente com whisky ou vodca. No rótulo das embalagens dos energéticos de qualquer fabricante é expressa a mensagem que não é recomendada o consumo com bebida alcoólica

O consumo de bebida energética com bebida alcoólica pode alterar a sensação de embriaguez, e com isso permitir que o consumidor se sinta em condições de pegar na direção quando tem sua percepção motora alterada, correndo o risco de causar um acidente até fatal a si próprio ou a terceiros.

A cafeína presente nesses energéticos potencializa o efeito maléfico do álcool no cérebro. De acordo com o estudo produzido em uma pesquisa, realizada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a cafeína acelera a morte de células cerebrais, causada principalmente pelo álcool, que pode levar ao envelhecimento precoce e a doenças como mal de Alzheimer e de Parkinson..

No caso de excesso de ingestão de cafeína, vide estudos em "caffeine" e "Health effects of caffeine" editados na Wikipédia em inglês. A ingestão excessiva pode provocar, em algumas pessoas, efeitos negativos como irritabilidade, ansiedade, agitação, dor de cabeça e insônia.

Os portadores de arritmia cardíaca devem evitar até mesmo dosagens moderadas, ainda que eventuais, da substância. Altas doses de cafeína excitam demasiadamente o sistema nervoso central, inclusive os reflexos medulares, podendo ser letal. Não se conhece estudos científicos de diagnóstico de letalidade em doses superiores a 10 gramas ao dia. A ingestão frequente pode causar insônia.

Fonte:
Universidade "North Kentucky"
Clara Pinette
Wikipédia
https://www novapublishers.com/catalog/product info.php?products id=9351