...
NÃO IMPORTA QUEM SOMOS PEDESTRES, PASSAGEIROS, CICLISTAS, MOTOCICLISTAS OU MOTORISTAS ▬ TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ATENTOS E EXERCER A SEGURANÇA QUANDO ESTAMOS NO TRÂNSITO.

Seguidores

Os robôs Spirit MER-A e o Opportunity MER-B, completaram 10 anos em Marte

Os robôs gêmeos em Marte, Spirit e Opportunity,
da Nasa, já passaram 10 anos na superfície de Marte.
Spirit, MER-A - "Mars Exploration Rover - A", é um dos veículos robóticos em Marte, que esteve ativo entre 2004 a 2010.

É uma das duas sondas de Marte da NASA que completou a sua missão na exploração.


Ele aterrissou com sucesso em Marte, em 4 de janeiro de 2004, três semanas antes de seu irmão gêmeo Opportunity - MER-B, aterrissar no outro lado do planeta.

Seu nome foi escolhido através de um concurso estudantil de redação patrocinada pela NASA.

O “Rover” ficou encalhado no final de 2009, e sua última comunicação com a Terra foi enviada em 22 de março de 2010, mas completou a sua missão como planejada.
Com seus painéis solares limpos, resultou em maior energia, assim o “Spirit” passou a funcionar vinte vezes mais do que o planejado pela NASA.

Spirit logrou percorrer 7,73 km (4,8 milhas) ao invés de caminhar os somente 600 metros (0,4 milhas), planejado, permitindo uma análise geológica mais completa da superfície e das rochas marcianas.
Os resultados científicos iniciais na primeira fase da missão, foram publicados numa edição especial da revista Science.

Em 1 de maio de 2009 (5 anos, 3 meses, 27 dias após o desembarque; 21,6 vezes mais do que a duração da missão planejada), Spirit atolou em solo marciano.
Nos oito meses seguintes a NASA analisou cuidadosamente a situação, baseados em simulações teóricas e práticas aqui na Terra, e, finalmente, a programação do robô foi colocada a prova numa tentativa de libertar-se.

Estes esforços continuaram até 26 de janeiro de 2010, quando os oficiais da NASA anunciaram que o robô estava irremediavelmente atolado por sua localização em solo fofo de areia, mas apesar de sua localização e encalhado continuaria a realizar pesquisas científicas.
O “Rover” continuou seu trabalho até 22 de março de 2010, mas como plataforma de ciências fixa, quando cessaram as comunicações. O JPL – Laboratório de Jato Propulsão da Nasa continuou a tentar recuperar o contato até 24 de maio de 2011, quando a Nasa anunciou que os esforços para se comunicar com o veículo haviam terminado, numa despedida formal na sede da NASA, e televisionada a toda a comunidade pela NASA-TV.
Steven Squyres, professor de astronomia da Universidade de Cornell, foi o cientista princípal por trás do projeto "Mars Exploration Rover / MER-A". Ele discute os desafios de engenharia que tiveram que ser atendidas em obter os robôs a Marte, bem como os resultados científicos obtidos por ambos os veículos ao longo de mais de sete anos de exploração.
O que era para ser um projeto de apenas 90 dias, passaram-se 10 anos, e apesar de o robô Spirit estar desativado, o robô Opportunity continua operando e não dá sinais de esmorecimento.

De acordo com o gerente de projeto da missão Sr. John Callas, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, "O robô Opportunity ainda está em excelente saúde para um veículo de sua idade", e em seu comunicado complementa, "Mesmo depois de 10 anos de exploração, a maior descoberta da ciência ainda poderá estar muito à frente de nós."

Os membros da equipe MAR A e B, dizem que as descobertas realizadas pelo Spirit e o Opportunity ao longo dos anos têm reformulado a compreensão dos cientistas de Marte e a dinâmica da história.

Por exemplo em 2007, o Spirit cavou um sulco na terra vermelha, revelando depósitos de sílica pura, que se forma quando a água quente reage com pedras. Uma forte evidência de descoberta de um antigo sistema hidrotérmico, que sugere que pelo menos algumas partes de Marte já tiveram dois principais ingredientes necessários para a vida como a conheceram: água líquida e fonte de energia.

“Quando o Opportunity chegou à borda da cratera Endeavour, começamos uma missão totalmente nova", o pesquisador principal missão Steve Squyres, da Universidade de Cornell”, disse em um comunicado.

"Encontramos veias de gesso e uma rica concentração de minerais de argila. Os minerais de argila nos dizem sobre a química da água que era neutra, em vez de ácida - mais favorável para vida microbiana, se alguma vez houve em Marte."

O robô Spirit durante a sua vida operacional, rodou um total de 4,8 milhas (7,7 quilômetros) no Planeta Vermelho, enquanto o Opportunity percorreu 24 milhas (38,7 km) até o momento. Os funcionários da NASA dizem que, o Opportunity detém o recorde americano rodando e manobrado a distância, e continua rodando já próximo da marca internacional de 26 milhas (42 km), que pertence ao robô não-tripulado Lunokhod 2, rover lunar da União Soviética de 1973.


Fonte: Yahoo.com USA
Atualmente outro robô ROVER CURIOSITY, um projeto bem mais avançado, é um veículo do tamanho aproximado de um carro médio destinado a explorar a superfície de Marte como parte da missão Mars Science Laboratory.

A missão contendo o rover Curiosity teve início com o lançamento, efetuado em 26 de novembro de 2011 a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, tendo pousado com sucesso em Marte, mais precisamente em Aeolis Palus na cratera Gale em 6 de agosto de 2012.Esse ponto de pouso, batizado como Bradbury Landing estava a apenas 1,5 milhas (2,4 quilômetros) do ponto de pouso originalmente previsto, depois de uma jornada de 350 000 000 milhas (560 000 000 quilômetros).

Especificações:
Velocidade máxima: 90 m/h
Massa: 899 kg
Altura: 2,2 m
Largura: 2,7 m
Comprimento: 3.0 m
Fonte: YouTube

Um comentário:

  1. De acordo com a BBC,
    http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150928_marte_descobertas_cc
    a NASA iforma haver evidências de água em Marte.
    "Marte não é o planeta seco que pensávamos. Em certas circunstâncias, existe água líquida em Marte", disse Jim Green, diretor de ciência planetária da Nasa, em anúncio nesta segunda-feira.
    Em uma entrevista coletiva, cientistas da agência espacial americana afirmam que manchas escuras observadas na superfície de Marte podem estar ligadas à existência de água corrente durante o verão no planeta.
    "Essas manchas se formam no fim da primavera, aumentam no verão e somem no outono. Por 40 anos, não pudemos explicar por que elas existiam", afirmou Green.
    "Marte sofreu uma enorme mudança climática e perdeu sua água. Mas há muito mais umidade no ar do que jamais havíamos imaginado."
    Dados do satélite Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) mostram que as linhas escuras, que aparecem em declives marcianos, estão associadas a depósitos de sal, que podem alterar os pontos de congelamento e evaporação da água, fazendo com que ela fique líquida por tempo suficiente para se mover. Sem isso, a água congelaria nas baixas temperaturas do planeta.

    ResponderExcluir