...
NÃO IMPORTA QUEM SOMOS PEDESTRES, PASSAGEIROS, CICLISTAS, MOTOCICLISTAS OU MOTORISTAS ▬ TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ATENTOS E EXERCER A SEGURANÇA QUANDO ESTAMOS NO TRÂNSITO.

Seguidores

Cidade de SANTA MARIA - Sr. Dalton Luiz Zappe

Na Cidade de SANTA MARIA DA BOCA DO MONTE!

O Sr. Dalton Luiz Zappe, aposentado pagou vaga de parquímetro para seu cavalo em Santa Maria. E para poder almoçar com a filha, Sr. Dalton, amarrou seu cavalo em um parquímetro, com o tíquete à mostra, na placa do estacionamento.

Apesar de ter comprado o tíquete, Zappe diz ter sido incomodado por alguns motoristas.
Sr. Dalton Luiz Zappe, 57
Cidade de Santa Maria, RS
Essa cena um tanto incomum chamou a atenção dos motoristas e pedestres que passavam pela Rua Venâncio Aires, na Cidade de Santa Maria, no começo da tarde de uma quinta-feira, em novembro em 2010.

Os condutores acostumados a disputar no braço os espaços das vagas dos parquímetros, ao se depararem com um meio de transporte diferente - com um cavalo amarrado numa placa indicativa de estacionamento pago, lógicamente tiveram uma reação de curiosidade. E o que mais chamou a atenção, era com um tíquete dos parquímetros, garantindo sua permanência por pelo menos uma hora.

O dono do animal é o aposentado Dalton Luiz Zappe, 57 anos. Morador do distrito de Boca do Monte, ele resolveu vir até a cidade para almoçar com a sua filha, Larissa Zappe, para comemorar seu aniversário.

Apesar de ter comprado o tíquete, Zappe diz ter sido incomodado por alguns motoristas.

Muitos buzinavam querendo a minha vaga, mas eu estava pagando, mostrei o comprovante! Justifica Dalton Luiz Zappe.
Fonte: Pesquisa Livre Internet


Nosso Blogue Devagar Se Vai Mais Longe, compadecidos pela humilhação e o mau trato imposto ao nosso Dalton Luiz Zappe, pela exposição ao rísco de acidentes ao cavalo, foi visitar a Cidade de Norco, no Condado de Riverside - California, que está a 60 quilômetros ao sul da Cidade de Los Angeles.

A cidade de Norco, tem toda uma atmosfera rural e, é considerada por seus habitantes como a capital do cavalo nos Estados Unidos da América. Fomos conferir para tentar mostrar como uma cidade pode respeitar o cidadão comum que utiliza seu cavalo como meio de transporte e de vida para a sobrevivência da Cidade!
Fonte:
http://www.norco.ca.us/services/film_in_norco/gallery.asp


restaurante com baia protegida ao cavalo com calçada exclusiva

estacionamentos exclusivos ao cavalo

Estacionamentos protegidos ao cavalo
O cavalo, além de um excelente amigo do homem pode movimentar a cidade e trazer divisas ao seu município, devido o florescer de um comércio em paralelo ao existente, um comércio específico de serviços aos amantes da cultura equestre.

- Comércio de roupas e sapatos (esportivas de montaria)

- Comércio de alimentos aos animais (alimentos adequados a estação - verão, inverno, primavera ou outono)

- Comércio de acessórios (de montaria e para transporte)

- Comércio de veículos no transporte de cavalos (traileres de segurança e que protejam o animal do tempo)

- Comércio, aluguel e construção de estábulos

- Escolas para treinamento tanto de cavalos, como para praticantes no exercício da cultura ao cavalo

- Rodeios e festas campeiras
fonte: http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=3&n=7939

- Veterinária (colocação de ferraduras, doenças contagiosas, reprodução, visão e audição, hormônios e esteroides, anatomia, doenças da pele e parasitas, nutrição e suplementos...)

- Dentista Veterinário
Anormalidades dentárias dos equinos estão entre os “top” cinco problemas mais comuns encontradas pelos médicos veterinários de equinos. A evidência clínica mostrou que cavalos com severos problemas dentários, ao ser corrigido tais problemas, passaram a ter um melhor mastigar, ganharam peso e deixaram de desperdiçar a comida.
Fonte: http://www.thehorse.com/ViewArticle.aspx?ID=3393

Um comércio inteligente sabe exigir das autoridades de uma cidade um trânsito ágil, e neste caso específico, acessos e caminhos adequados e seguros ao “cavaleiro".


faixa de segurança e luz compartidos,
com botão na altura das mãos  



calçadas de terra

Calçadas espaçosas


calçada de areia

vamos nos divertir aos domingos
O cavalo como recurso terapêutico

Além do trabalho pesado que o cavalo exerce nas atividades do campo, o cavalo hoje está sendo considerado como um ótimo recurso terapêutico para crianças incapazes fisicamente, geralmente com baixa estima, nessa interação com o animal há a redução do estresse do sofrimento, assim passam a confiar nelas próprias o que ajuda e muito na sua reabilitação.


Um pouco de história sobre o cavalo
Na maior parte da idade glacial, o Équos passou das Américas para a Europa e para a Ásia. O processo chegou ao fim há cerca de 10 mil anos, quando o cavalo desapareceu do continente americano.

A domesticação dos cavalos foi muito importante para o desenvolvimento das civilizações asiáticas e europeias.

Há mais de 5 mil anos o cavalo é um animal doméstico. Acredita-se que o cavalo foi domesticado no Neolítico (Idade da Pedra Polida), seus vestígios foram encontrados (ossadas, gravuras, pinturas rupestres) nas grutas de Lascaux, de Madaleine e de Altamira.

Em 1967, encontrou-se um esqueleto numa rocha da época eocena do sul dos Estados Unidos. É o Eohippus, a partir do qual o desenvolvimento dos equinos pode ser traçado por um período de 60 milhões de anos, até surgir, há cerca de 1 milhão de anos.

Na Europa Ocidental, até a Idade Média, a posse e o uso do cavalo eram exclusivos da casta aristocrática dos cavaleiros, que o empregava na guerra, no jogo e na ostentação social. Além de seu emprego militar (cavalaria), o cavalo foi usado como animal de carga e de sela, como animal de atrelamento (carroça, charrete, trenó, máquina agrícola), para bater cereais ou para a movimentação de mecanismos destinados a moer (moinho de farinha, extrator de óleo, amassador de frutas), bater os grãos ou elevar a água (nora).

No séc. XIX, a modernização da agricultura, o desenvolvimento da mecanização e o melhoramento dos transportes provocaram uma procura crescente do cavalo. A criação se organizou para responder a essa procura. As grandes raças de prestígio começaram a individualizar-se sob a dupla tutela dos haras e das autoridades agrícolas.

Os cavalos aumentaram de peso e tamanho, mas conservaram em geral sua aptidão para o deslocamento rápido, pois muitos deviam puxar, em grande velocidade, cargas cada vez mais pesadas. O cavalo foi empregado em diversos trabalhos, nas mais diversas condições, às vezes, muito duras. Porém, com bom trato, o cavalo provou ter boa adaptabilidade ao trabalho.

No Brasil, o cavalo começou a substituir o boi na aração e nos transportes no séc. XVIII e vem sendo substituído por meios mecânicos.

As principais raças brasileiras são o comum, descendente do berbere (Minas, Nordeste e Rio Grande do Sul); o Guarapuava ou Guarapuavano (Santa Catarina, Paraná e São Paulo); o Manga-larga paulista, o Manga-larga mineiro e o Manga-larga Marchador (este em Minas); o Pantaneiro (fixado no Pantanal há três séculos); o Crioulo (Rio Grande do Sul); o Campeiro (Santa Catarina) e o Nordestino. O rebanho brasileiro é calculado em 5,4 milhões de cabeças (1984).

O Cavalo pode viver em média 25 anos, porém, há casos em que chega a viver até aos 40 anos. O cavalo de corrida pode chegar a correr até 68 km/h.

Algumas das principais raças de cavalos em cultura no Brasil.
Andaluz Brasileiro, Árabe, Crioulo, Holsteiner, Mangalarga, Pura Raça Espanhola, Puro-Sangue Inglês, Puro-Sangue Lusitano, Quarto de Milha

O “cavalo passarinheiro”

É muito comum terem os animais mediunidade vidente. Para espantá-los, os espíritos do astral inferior (espíritos quedados na atmosfera da terra) engendram corpos diversos, inclusive de animais furiosos. A gravura ao lado mostra um cavalo empinado, que o dono toma por "passarinheiro", quando, na realidade, o susto que o espantou foi causado pela sua mediunidade vidente, que lhe deu a impressão de que a cobra (fluídica) ia lançar-se sobre ele.

O cavaleiro não pôde enxergar a falsa cobra, por não ser vidente, e pouco faltou para ser atirado, com violência, ao solo. Estes acontecimentos são evitados quando os cavaleiros possuem noção da vida fora da matéria e fazem preparo mental antes de viajar para impedir que espíritos maléficos os possam perturbar durante a jornada. Fonte: Livro A Vida Fora da Matéria – Biblioteca Digital do Racionalismo Cristão.


Cidade de Santa Maria - RGS
.
“Seu cavalo é um espelho de sua alma, algumas vezes você pode não gostar do que você vê..., outras vezes você gostará." por Buck B’annaman

Também poderá desfrutar de nossa homenagem dedicada ao povo gaúcho
Aos Desgarrados do Pago

Cometário
"Sou de Santa Maria RS Brasil, o transporte a cavalo esta sendo proibido no centro das cidades brasileiras, no projeto de lei consta a apreensão do animal e multa para o proprietário, o progresso no Brasil não atinge os animais, abrs Jorge"


Poderá gostar de conhecer: